• 11 de December de 2018
  • LANGUAGE:
    • English
    • Español
    • France
    • Chinese
ONDE IR? COMO IR? O QUE FAZER? COMECE A VIAJAR AQUI...

O QUE É NOTÍCIA

Joigny: joia medieval da Borgonha  (VÍDEO)

Joigny: joia medieval da Borgonha (VÍDEO)

Categoria: Geral


A pequena cidade de Joigny é uma joia rara da Idade Média encrustada no coração da Borgonha , na França. Em menos de duas horas de Paris, ao cruzar a ponte sobre o rio Yonne, você mergulha numa jornada pelas ruelas com monumentos e fachadas do século XVI em um verdadeiro passeio pela história e a arte.

Muito mais que guia

A simpática Béatrice Kerfa me recebe com um largo sorriso, incomum por essas bandas. Com 65 anos de idade, esta “guia” é diretora do Escritório de Turismo da Joigny  já presidiu a mesma instituição e conhece cada pedacinho deste lugar. “Nasci aqui e amo este lugar. Vocês vão ver muitas curiosidades no roteiro que programei”. Rápida, divertida e cheia de energia, ela me leva para o alto da colina com um visual incrível dos vinhedos e do vilarejo. “Minha família faz vinhos há décadas. Você sabe qual a diferença entre os vinhedos da direita e da esquerda?, pergunta com senso se humor.

Vinhos e mais vinhos

Explico que, apesar de conhecer um pouco de vinho e ter estudado em Bordeaux, não sei exatamente a diferença entre um lado e o outro do vinhedo.  “As colinas do lado de cá recebem mais sol e, consequentemente as uvas ficam com melhor qualidade. Logo será um vinho melhor e, no futuro, mais caro”, conta sem dar mais detalhes. E é na companhia dela que passo horas conhecendo o lugar.

Monumentos

Com menos de dez mil habitantes, Joigny tem quase 20 monumentos classificados patrimônios históricos. A maioria está em três bairros mais turísticos: Saint-Thibault,  Saint-André e Saint-Jean.

Curiosamente cada um desses pequenos bairros tem sua igreja. A Igreja de São João domina toda a cidade. Foi reconstruída várias vezes ao longo dos séculos. A última vez foi no século XVI, após o incêndio de 1530. Ele foi completado em 1596 por jovinian o arquiteto Jean Chéreau. A Igreja de São Thibault, de estilo gótico e renascentista, foi construída entre 1490 e 1529. Sua marca principal é a estátua equestre do escultor Jean de Joigny. A Igreja de Santo André, fundada em 1080 se orgulha de ter um órgão de Daublaine-Callinet, instalado em 1842.  

Entre uma igreja e outra, Béatrice me apresenta a Casa Pilori, do século XVI. Pilares esculpidos em madeira, fachada decorada com cerâmica verdes, azuis, amarelas e telhas vitrificadas destoam dos monumentos da cidade.  “Muita madeira usada nas construções em Paris saiu daqui pelo rio Yonne”, explica Béatrice. Madeira e vinhos. O néctar produzido nas vinícolas sempre foi apreciado pelos reis da França.

Modernidade

Nem só de igrejas vive Joigny. O atelier da jovem Alexandra Pinsac ( atelierdeprinsacfr.moonfruit.fr) faz qualquer um pensar que está nos mais descolados bairros de Londres, Paris ou Nova York.

Esculturas, pinturas, semi-joias, bijouterias finas, pingentes num ambiente finamente decorado parecem uma miragem num vilarejo desses perdido entre vinhedos, florestas e história.

Mestre na arte do bordado histórico

No trajeto entre uma igreja e outra, Béatrice para de repente e toca a campanhia na casa de um morador. O artista Philippe Cécile abre a porta. O atelier simples esconde obras de arte que valem milhões de euros.

Ele é nada mais nada menos do que um dos maiores especialistas em recuperar vestimentas, tapetes e tecidos antigos, como por exemplo indumentárias do Vaticano e dos museus e castelos do mundo todo.Cécile me mostra algumas peças, que levam meses para serem recuperadas. Um trabalho único. Em 2007, este mestre na arte do bordado histórico,  trocou o bairro do Marais, em Paris, pelo vilarejo e hoje brilha por aqui. “A escolha do material e a recuperação são muito delicadas. Tenho o maior prazer e o maior orgulho de fazer isso”, disse enquanto brinca com a cadelinha companheira de longas jornadas de trabalho. Curiosidades de Joigny.

Sociedade religiosa

Numa ruela no centro histórico, uma fachada com cores azuis chama a atenção. “Aqui nasceu, em 12 de dezembro de 1779, Santa Maria Madalena de Sophie Barat”, diz a placa. A jovem religiosa canonizada em 1925, fundou a Sociedade de mulheres devotadas a ensinar meninas, o que seria a contrapartida feminina dos jesuítas. Em 1865, a Sociedade já havia fundado mais de 100 casas e escolas em 12 países. Seu legado continua e no Centro Espiritual das Religiosas do Sagrado Coração de Jesus, em Joigny, devotas do mundo todo se reúnem para retiros espirituais, atividades beneficentes, orações e reflexões. Curiosidades de Joigny. 

Refeição local x Estrelado Michelin

Hora de comer e a dificuldade é escolher entre uma refeição local cheia de personalidade ou um menu duas estrelas Michelin.


Mas é na Maison de Prunelle  que tenho uma das incríveis refeições à moda francesa.

Entro na casa de Brigitte E. e inicialmente parece uma loja, depois, lembra um bazar, para terminar, tem semelhança com um atelier. Uma mesa no meio de tudo isso indica que é um café ou restaurante. Na realidade é tudo junto misturado. Ela abre as portas da sua casa-atelier-restaurante-pousada-loja e recebe alguns seletos clientes.

Ela vai para a cozinha sozinha e prepara um dos melhores coelhos que já comi. Parece cozinha de mãe.

Tudo fresco, tudo muito bom. Tudo regado a bons vinhos da Borgonha. Joigny é conhecida na região por sua reputação na gastronomia. 

Relais & Châteaux – La Côte Saint-Jacques

Me despeço de Béatrice, que me deixa em frente ao Relais & Châteaux La Côte Saint-Jacques. É aqui onde a paixão da família Lorain fincou raízes.

O chef Jean-Michel Lorain me recebe pessoalmente. Abre as portas da sua cozinha e mostra que ainda está por traz das panelas. Em plena terça-feira, o restaurante está praticamente lotado. “Muita gente de outras cidades e países vem”, revela sorrindo.

Recebo o menu assinado pessoalmente por ele que começa com nada mais nada menos do que “ilha flutuante de caviar Petrossian, geleia de alho negro, creme delicado de raiz forte”.

A partir daí, surgem pratos incrivelmente elaborados e harmonizado com vinhos cuidadosamente selecionados por Jaqueline.

Vieiras, batatas com trufas brancas de alba, foie gras grelhado, filé de caça, queijos e obras de arte em forma de sobremesa.

Tudo é claro servido em porcelana Limoges com design inovador criado especialmente para JML.

Não é à toa que é estrelado há mais de três décadas.

História da família Lorain

Foi em 1945 que a costureira Marie Lorain abre uma pequena pousada às margens do rio Yonne e passa a cozinhar para os hóspedes e moradores. Treze anos depois, seu filho caçula, Michel assume as rédeas do negócio e, junto com sua esposa, Jacqueline, passa a criar pratos simples com produtos regionais.

Em  1971, vem a primeira estrela Michelin e, cinco anos mais tarde, vem a segunda.

Paralelamente, o amor aos vinhedos leva Jacqueline e se tornar sommelier, numa época que isso era um ‘métier’reservado aos homens.

A arte de receber também se moderniza e, em 1977, La Côte Saint-Jacques passa a fazer parte do seleto grupo Relais & Châteaux .

Em 1983, depois de uma temporada com o chef Troisgros  troisgros.fr, na cidade de Roanne, Claude Deligne, no restaurante Taillevent taillevent.com, em Paris, e Fredy Girardet, na Suíça, o jovem Jean-Michel Lorain se junta definitivamente ao pai e segue a trajetória de sucesso.

Hotel

A felicidade é depois de toda esse jantar não ter que dirigir, ir para outra cidade ou sair caminhando para ir para o hotel. Estou hospedada no La Côte Saint-Jacques.

A ampla varanda com vista para o rio Yonne é cartão postal de Joigny.

A propriedade que foi, aos poucos, restaurada, tem quartos e banheiros amplos, amenities Carita. O spa de 800 metros merece ser restaurado.

Quem diria que um vilarejo tão desconhecido guarda tantas curiosidades, arte, cultura e história, Joigny é uma surpresa na Borgonha e merece ser incluída no seu roteiro. Se o tempo for curto, o desvio  só para comer por lá já vale a pena. Eu garanto.

Por Adriana Reis

Serviço

Escritório de Turismo de Joigny et do Jovinien - Endereço: 4 Quai Henri Ragobert - Bp 52 - 89302 Joigny - E-mail : accueil@joigny-tourisme.com - Site: www.joigny-tourisme.com

Prefeitura de Joigny - Endereço: 3 quai du 1er Dragons - 89300 Joigny - E-mail: www.ville-joigny.fr/contact - Site: www.ville-joigny.fr

Imperdível

Onde ficar

Onde comer

Fotos © Créditos: Paulo Panayotis | Adriana Reis ©oqvpm

Organize sua viagem com a CCHotels: cchotels.com.br - telefone: 00 55 11 3854 6246 – E-mail: contato@cchotels.com.br

Jornalista esteve em Joigny a convite Escritório de Turismo da Bourgogne Franche-Comté, apoio da CC Hotels  e seguro viagem Travel Ace.

Crédito das fotos: Paulo Panayotis | Adriana Reis ©oqvpm


Acesse:

Tags & Hastags:

 @oquevipelomundo #airfrance #af #viajando  #lyxuryhotels #romantic #oqvpmnafranca #luxurylife #luxurytravel #luxuryhotels#bestdestinations#oqvpmnafranca #oqvpm #lhw#oquevipelomundo #hotelleriedeluxe#oquevipelomundonafranca#oqvpmnafranca #adrianareis #adrianaassis #jornalistaadrianareis#oqvpminprovence#jornalistadeturismoadrianareis#jornalistadeturismo #paulopanayotis#ppanayotis #diariodoshoteis #presstrip#borgonha #bourgogne #joigny #viagemeturismo #espritdefrance #DT #revistaqualviagem #relaischateaux